Webinar Ex Módulo 3: Perguntas e Respostas – Parte 4

Pergunta:

Qual o inconveniente do prensa-cabos “Ex” de plástico em um invólucro metálico “Ex”?

Resposta:

Não existem “inconvenientes” em utilização de prensa-cabos “Ex” fabricados de materiais plásticos, desde que atendam aos requisitos da instalação e ao tipo de proteção “Ex” do invólucro ao qual estão sendo conectados.

Certamente um prensa-cabos fabricado em material plástico, com tipo de proteção Ex “e” ou Ex “t” não podem ser instalado junto a invólucros metálicos com tipo de proteção Ex “d”, em função de não terem sido ensaiados e certificados como sendo capaz de suportar a pressão de uma explosão (caso contrário teriam sido adicionalmente certificados como Ex “d”).

Os detalhes de seleção de equipamentos (inclusive prensa-cabos “Ex”) e montagem de instalações elétricas, de instrumentação, de automação e de telecomunicações em áreas classificadas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis estão especificados na Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14.

 

Pergunta:

Existe algum tipo de “Tabela” que relacione os Tipos de Proteção “Ex” aos Graus de Proteção IP requeridos para eles?

Resposta:

Os diversos tipos de proteção “Ex” requerem diferentes grau de proteção (IP), dependendo de suas características construtivas, de sua aplicação e das condições existentes no local da instalação.

Cada tipo de proteção “Ex” para equipamentos elétricos ou mecânicos é especificado em normas específicas das Séries Normas Técnicas Brasileiras adotadas das Séries ABNT NBR IEC 60079 e ABNT NBR ISO 80079.

Desta forma, o Grau de Proteção requerido para cada tipo de proteção “Ex” é especificado na respectiva norma, onde também são especificados os demais detalhes de fabricação, ensaios e avaliação, para o processo de certificação.

Assim sendo não existe, no âmbito das Normas Técnicas Brasileiras adotadas das Séries ABNT NBR IEC 60079 e ABNT NBR ISO 80079 uma tabela “consolidada” onde sejam mostrados os graus de proteção (IP) para cada um dos diversos tipos de proteção para equipamentos elétricos ou mecânicos “Ex”, mesmo porque são muitos os detalhes envolvidos, incluindo os detalhes de aplicação dos equipamentos e componentes “Ex”.

 

Pergunta:

As barreiras intrinsecamente seguras das instalações Ex “i” são instaladas dentro das caixas de junção no campo ou nas salas de controle?

Resposta:

Existem no mercado diversos tipos de barreiras de segurança intrínseca, que podem ser instaladas em áreas classificadas (Grupos IIA, IIB, IIC, IIIA, IIIB, IIIC) como em áreas não classificadas (no interior de salas de controle ou no interior de painéis pressurizados (Ex pzc ou Ex pxb), instalados em áreas classificadas.

As barreiras intrinsecamente seguras certificadas para instalação em áreas classificadas possuem tipos de proteção adicionais aos circuitos intrinsecamente seguros nela contidos, como por exemplo terminais de segurança aumentada (Ex “e”) de invólucros plásticos do tipo à prova de explosão (Ex “d”). Uma barreira deste tipo pode ter, por exemplo, a marcação Ex db eb [Ex ia Ga] IIC T6 Gb ou Ex tb [Ex ia Da] IIIC 85 ºC Db, sendo adequadas para instalação em áreas classificadas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis.

Outro exemplo de “barreira” de segurança intrínseca instalado no campo são os Switches de Campo para sistemas 2-WISE (Ethernet intrinsecamente segura a dois fios), nos quais a segurança intrínseca é assegurada pela padronização dos valores de entidade para os diversos tipos de portas dos switches, sensores ou atuadores 2-WISE.

Os detalhes de seleção de equipamentos (inclusive prensa-cabos “Ex”) e montagem de instalações elétricas, de instrumentação, de automação e de telecomunicações em áreas classificadas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis estão especificados na Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14.

 

Pergunta:

No caso de no mesmo painel estarem presentes circuitos não IS e circuitos IS, para estes últimos, deve ser providenciado o uso de bornes e canaletas na cor azul? Como identificar os circuitos IS?

Resposta:

Nos frequentes casos em que estão presentes circuitos intrinsecamente seguros (IS) e circuitos não intrinsecamente seguros (NIS), existe a necessidade de uma separação física entre eles, de forma a evitar que haja uma indevida indução eletromagnética nos circuitos IS devido à proximidade dos circuitos NIS.

A identificação das capas externas dos cabos, terminais, canaletas ou prensa-cabos por meio da cor azul claro é uma recomendação da Norma ABNT NBR IEC 60079-14, no sentido de facilitar a identificação visual desta necessária separação física entre circuitos IS e NIS.

Os detalhes de seleção de equipamentos (inclusive equipamentos Ex “i”) e montagem de instalações elétricas, de instrumentação, de automação e de telecomunicações em áreas classificadas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis estão especificados na Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14.

 

Pergunta:

A identificação do tipo de proteção é 2-WISE mesmo? Isto faz referência aos dois fios?

Resposta:

A sigla 2-WISE vem do termo em inglês 2-Wire Intrinsically Safe Ethernet, que significa Ethernet intrinsecamente segura a dois fios.

Os requisitos sobre a especificação de equipamentos 2-WISE e de instalação dos respectivos equipamentos e circuitos em áreas classificadas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis estão especificados na ABNT IEC TS 60079-47 (atualmente em processo de publicação pela ABNT).

 

Respostas às perguntas feitas pelos participantes no Webinar “Ex” – Módulo 3 – EPL e Tipos de Proteção “Ex”, realizado no dia 15/06/2021.

×

Atendimento

× Precisa de ajuda?