Webinar Ex Módulo 3: Perguntas e Respostas – Parte 1

Pergunta:

Com relação às normas sobre atmosferas explosivas relacionadas ao ciclo total de vida dos equipamentos “Ex”, existe inspeção de fabricação?

Resposta:

As Normas Técnicas Brasileiras adotadas das Séries ABNT NBR IEC 60079 e ABNT NBR ISO 80079 dos tipos de proteção “Ex” especificam os requisitos de dimensionamento, avaliação, ensaios e certificação de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”.

Os requisitos de inspeção de fabricação estão além do escopo das normas dos tipos de proteção “Ex”. A Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR ISO IEC 80079-34 (Sistemas de gestão da qualidade para fabricantes de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”) estabelece os requisitos do SGQ dos fabricantes de forma a assegurar que os equipamentos são continuamente fabricados de acordo com os requisitos de certificação, que tem como base tanto ensaios de tipo (ensaios de protótipo realizados em laboratórios de ensaios “Ex”) e de rotina (nas instalações do fabricante).

Alguns requisitos de avaliação comumente verificados nas inspeções de fabricação, como desempenho, eficiência energética e vibração, que estão relacionados com a qualidade dos produtos, estão além do escopo das Normas Técnicas das Séries ABNT NBR IEC 60079 e ABNT NBR ISO 80079 sobre os tipos de proteção “Ex”, que têm como foco a segurança dos equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”, de forma a não representarem fontes de ignição na presença de atmosferas explosivas de gases inflamáveis ou poeiras combustíveis.

As inspeções de fabricação dos equipamentos “Ex” pode ser realizada caso seja especificada em requisitos contratuais com os fabricantes ou fornecedores de equipamentos, produtos, componentes ou sistemas elétricos ou mecânicos “Ex”.

 

Pergunta:

Poderia citar um exemplo de Equipamentos Ex “Power i”. Este tipo de proteção entrou em qual Parte das Normas Técnicas Brasileiras adotadas da Série ABNT NBR IEC 60079?

Resposta:

O tipo de proteção “Power i” está especificado na Norma Técnica Brasileira ABNT IEC TS 60079-39, publicada em 2018.

Podem ser citados com exemplos de equipamentos com tipo de proteção “Power i” (Segurança intrínseca de potência), dispositivos “Ex” de instrumentação ou automação de campo, que tenham sido certificados de acordo com este tipo de proteção “Ex”, como sensores “Ex”, transmissores “Ex” ou atuadores “Ex”, incluindo equipamentos em redes Fieldbus “Power i”.

 

Pergunta:

Não é meio redundante a marcação ser Ex “eb” com EPL Gb? Ou Ex “ec” com EPL Gc?

Resposta:

Na marcação de um equipamento elétrico ou mecânico “Ex”, o nível de proteção “global” do equipamento é indicado no final da marcação, como por exemplo Ex b c d e i IIB T3 Gb.

Ocorre em diversos equipamentos “Ex” a incorporação de tipos de proteção que proporcionam diferentes níveis de proteção. Nestes casos, por questões de segurança, o nível de proteção “global” dos equipamentos fica limitado ao EPL mais baixo proporcionado pelos diversos tipos de proteção “Ex” incorporados.

Por exemplo, um equipamento com marcação Ex eb ic IIC T6 Gc. Neste exemplo, o equipamento incorpora dois tipos de proteção (Ex “e” e Ex “i”) que proporcionam diferentes níveis de EPL. Por este motivo o EPL “global” do equipamento é EPL Gc, que representa o nível de proteção proporcionado mais baixo dentre os incorporados ao equipamento.

Pode ainda ocorrer, por exemplo, que um equipamento “Ex” (um transmissor, por exemplo) possua um circuito eletrônico com EPL Ga, com um invólucro fabricado em alumínio. Como existem restrições do teor de alumínio para instalação em áreas classificadas do tipo Zona 0, em função do risco de centelhamento, o EPL “global” do equipamento fica “rebaixado” para Gb, por exemplo, com a seguinte marcação: Ex ia IIC T6 Gb.

Os detalhes sobre os requisitos de marcação dos equipamentos “Ex” estão especificados na Norma Técnica Brasileira ABNT NBR IEC 60079-0 – Atmosferas explosivas – Parte 0: Requisitos gerais.

 

Pergunta:

Por que os equipamentos mecânicos “Ex” para atmosferas explosivas são tratados através dos Comitês ou Subcomitês de Eletricidade de Normalização?

Resposta:

De acordo com entendimentos mantidos de comum acordo entre a IEC e a ISO, foi criado na estrutura da IEC, o Subcomitê SC 31M, com o objetivo de elaborar as normas relacionadas com equipamentos e instalações mecânicas “Ex”.

Foi consensado, nestes entendimentos, por parte de todos os países participantes do TC 31 da IEC, inclusive pelo Brasil, que o tema “equipamentos e instalações em atmosferas explosivas” tem sido tratado desde 1948 pelo TC 31 da IEC, no qual atuam diversos Organismos, Entidades, Empresas, Organismos de Certificação e Laboratórios de Ensaios envolvidos com o tema “equipamentos e instalações Ex”.

Desta forma fazem parte do SC 31M e dos respectivos Grupos de Trabalho responsáveis pela elaboração das respectivas normas técnicas internacionais das Séries ISO 80079 e ISO/IEC 80079, profissionais envolvidos com projeto, fabricação, ensaios, avaliação e certificação de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”, inclusive profissionais que atuam em Grupos de Trabalho da ISO.

Este tipo de ação faz com que todos os conhecimentos, experiências, lições aprendidas e boas práticas aplicadas aos equipamentos e instalações elétricas “Ex” ao longo das últimas décadas sejam aplicadas também aos equipamentos e instalações mecânicas “Ex”.

 

Pergunta:

Existem unidades seladoras Ex “e”?

Resposta:

As unidades seladoras são destinadas a serem instaladas junto aos invólucros Ex “d” (critério do invólucro), de forma a limitar a região sujeita à pressão da explosão interna ao equipamento ao invólucro do equipamento.

As unidades seladoras são também destinadas a serem instaladas nos eletrodutos nas áreas de fronteira entre áreas classificadas e não classificadas (critério da fronteira), de forma a evitar que atmosferas explosivas sejam indevidamente migradas pelo interior dos eletrodutos para áreas não classificadas.

Nestas duas aplicações são utilizadas unidades seladoras de eletrodutos com tipo de proteção Ex “d”.

Não são disponíveis no mercado unidades seladoras Ex “e” uma vez que este tipo de produto não poderiam ser instalados junto aos invólucros Ex “d”, de forma a limitar a região sujeita à pressão da explosão interna ao equipamento ao invólucro do equipamento.

 

Respostas às perguntas feitas pelos participantes no Webinar “Ex” – Módulo 3 – EPL e Tipos de Proteção “Ex”, realizado no dia 15/06/2021.

×

Atendimento

× Precisa de ajuda?