Webinar Ex Módulo 1: Perguntas e Respostas – Parte 4

Pergunta:

Há alguma premissa normativa que “desobrigue” a necessidade do uso de unidade seladoras em Zonas 2 e 22?

Resposta:

Os requisitos normativos para a instalação de unidades seladoras Ex “d” estão especificados na Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14 (Atmosferas explosivas – Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas).

Existem especificados naquela norma, por exemplo, a necessidade de instalação de unidades seladoras junto aos pontos de entrada de cabos em invólucros Ex “d” (critério do invólucro) e nas áreas de “fronteira” entre áreas classificadas e áreas não classificadas (critério da fronteira).

A utilização de unidades seladoras não depende somente da Zona de classificação de áreas do local da instalação, mas do tipo de proteção “Ex” dos equipamentos, em especial para os equipamentos com invólucro metálicos do tipo à prova de explosão (Ex “d”). De uma forma geral, um equipamento com invólucro metálico Ex “d” com entrada de cabos por meio de eletrodutos requer a instalação de unidades seladoras, mesmo se estiver instalado em Zona 2. Da mesma forma, um equipamento com tipo de proteção Ex “e” não requer a instalação de unidades seladoras Ex “d” mesmo se estiver instalado em Zona 1 ou Zona 2.

Dentre outros requisitos, a Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14 especifica que unidades seladoras de eletrodutos devem ser fornecidas como parte do invólucro à prova de explosão ou instaladas logo após ou o mais perto possível da entrada do invólucro à prova de explosão, utilizando uma quantidade mínima de acessórios Ex “d” entre a unidade seladora Ex “d” e o invólucro Ex “d”. Estes requisitos representam meios de proporcionar uma selagem de invólucros interligados entre si.

 

Pergunta:

Para as juntas a prova de explosão não seria importante haver uma especificação mais detalhada (norma) para as graxas utilizadas por exemplo?

Resposta:

A especificação de graxa para utilização em juntas flangeadas ou roscadas de invólucros Ex “d” está indicada na Norma ABNT NBR IEC 60079-14 (Atmosferas explosivas – Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas) – Seção 14.3 – Proteção das juntas à prova de explosão, na qual são indicadas graxa que não cure (não endureça na presença do oxigênio do ar) e agentes anticorrosivos sem solventes voláteis.

Naquela Norma é indicado que se for utilizada graxa à base de silicone, isto pode afetar alguns tipos de detectores de gases, especificados nas Normas da Série ABNT NBR IEC 60079-29. É de responsabilidade do usuário confirmar se a graxa utilizada é adequada. Além da utilização de graxa, também é especificada a utilização de vaselina industrial.

Estas especificações têm sido consideradas adequadas pela comunidade técnica “Ex”.

 

Pergunta:

Qual a aplicação para conduletes e flexíveis Ex “d”, se eles não são necessários após unidade seladora e não devem conter conexões no seu interior?

Resposta:

De acordo com os requisitos especificados na Norma Técnica Brasileira adotada ABNT NBR IEC 60079-14 (Atmosferas explosivas – Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas), Seção 14.4 (Sistemas de eletrodutos), as unidades seladoras de eletrodutos devem ser fornecidas como parte do invólucro à prova de explosão ou instaladas logo após ou o mais perto possível da entrada do invólucro à prova de explosão, utilizando uma quantidade mínima de acessórios Ex “d” entre a unidade seladora Ex “d” e o invólucro Ex “d”.

Desta forma, os “conduletes” (caixas de passagem de cabos em sistema com eletrodutos) ou eletrodutos flexíveis devem ser instalados “após” as unidades seladoras. Assim sendo estes “acessórios de eletrodutos” não necessitam possuir certificação Ex “d”.

Deve ser ressaltado que os “conduletes” Ex “d” são certificados “vazios”, uma vez que são destinados somente para a passagem de cabos, e não conterem dispositivos em seu interior. Por este motivo os conduletes Ex “d” são certificados não como “equipamentos Ex d”, mas somente como “componentes Ex d”, sem indicar a classe de temperatura em sua marcação e com certificados com numeração com sufixo “U”.

Deve ser ressaltado também que, de forma diferente dos “conduletes” Ex “d”, existem “caixas de junção” “Ex”, como por exemplo as junction box com marcação Ex “e” e Ex “t”, as quais são certificadas contendo terminais em seu interior, destinadas a proporcionar os meios adequados de conexão de cabos em áreas classificadas.

Pode ser verificado, nas inspeções de campo, a utilização indevida de conduletes e eletrodutos flexíveis Ex “d” entre os invólucros dos equipamentos Ex “d” e as unidades seladoras, evidenciando a grave não aplicação dos requisitos especificados na Norma ABNT NBR IEC 60079-14.

 

Módulo 1: Respostas às perguntas elaboradas no dia 16/04/2021, no período das 14h10 às 16h40.

Compare Products
Action Add Product
Image
Title
Price
Stock Status
Quantity
Add To Cart
Review
Chalmit G7536-2240 | Reator para Protecta III
0 customer review
Bandeja para Cabo para Serviço Pesado Reto em Aço Inox 3000x150x1,0mm
0 customer review
Bandeja para Cabo para Serviço Pesado Reto em Aço Inox 3000x100x1,0mm
0 customer review
Bandeja para Cabo para Serviço Pesado Reto em Aço Inox 3000x300x1,0mm
0 customer review
Bandeja para Cabo para Serviço Pesado em Aço Inox 150x300x1,0mm
0 customer review
Porca para Canaleta em Aço Inox M12
0 customer review
Porca para Canaleta em Aço Inox M10
0 customer review
Porca para Canaleta em Aço Inox M8
0 customer review
Porca para Canaleta em Aço Inox M6
0 customer review
Perfilado Profundo Costa com Costa em Aço Inox 316L 3000x2,5mm
0 customer review
×

Atendimento

× Fale conosco e tire suas dúvidas!